Sindicato

Notícias
Inflação derruba o real e faz nota de R$ 100 valer apenas R$ 13
 
Em julho de 1994, quando o salário mínimo era de R$ 64,79, com apenas uma nota de R$ 100 se pagava uma pessoa e ainda sobrava troco. Hoje, a cédula vale somente R$ 13,43, quantia essa que em muitas regiões brasileiras não dá para comprar dois itens essenciais da cesta básica.

Basicamente, em julho de 1994 era necessário somente uma nota de R$ 100 para realizar o pagamento de um empregado. Atualmente, são necessárias 12 cédulas no valor de R$ 100 e mais R$ 12 para fechar a conta.

O matemático financeiro José Dutra Vieira Sobrinho, que realizou um cálculo exclusivo para uma coluna do R7, pode apontar que a inflação entre 1° de julho de 1994 e 1° de maio deste ano foi de 644,55%. Para o consumidor que quer adquirir a mesma quantidade de serviços e mercadorias que com R$ 100 era possível comprar em 1994, é necessário desembolsar R$ 744,55.

Apesar da desvalorização, Sobrinho lembra, ainda em entrevista ao R7, que a percepção de valor do real se mantém. Ele explica que embora a nota de R$ 100 tenha perdido 86% do seu poder de compra, em muitos locais “as pessoas ainda não conseguem trocar essa nota, por ser considerada de valor alto. E a nota de R$ 200, lançada em setembro de 2020, quase nem é vista em circulação”.

Além disso, outro ponto que deve ser lembrado é que, enquanto o real perdeu mais de 86% do poder aquisitivo, no período de apenas 1 ano, na época da hiperinflação o país perdeu muito mais que isso.

Diretor do BC diz: “salário vai voltar a ter aumento real quando inflação cair”

De acordo com o diretor de Política Monetária do Banco Central, Bruno Serra, o Brasil teve um choque de salário real para baixo, o que permitiu contratações, mas a economia vai passar a observar crescimentos reais de remunerações quando a inflação começar a diminuir.

Em videoconferência, Serra afirmou que a capacidade das pessoas conseguirem aumento real nos dias de hoje parece equivalente ao visto na recessão de 2015 e 2016. O diretor ressaltou que, do ponto de vista dele, o mercado de trabalho não está apertado.

Fonte: SeuCréditoDigital
_
Últimas Notícias
> Golpes bancários: como proteger contas e celular de ataques
> BB lucra R$ 7,8 bilhões no 2º trimestre, alta de 55%
> XP tem lucro de R$ 1,05 bilhão no segundo trimestre
> Programa ‘Caixa para Elas’ vai focar em relacionamento para clientes mulheres
> Campanha Salarial: 8⁰ encontro termina sem avanços
> Mesmo com Pix, lucro dos bancos cresce 49% e foi de R$ 132 bilhões em 2021
> Auxílio de R$ 600, vale-gás e benefício a caminhoneiros começam a ser pagos nesta terça
> Caixa inicia pagamento dos benefícios para caminhoneiros e taxistas
> Bradesco lucra R$ 7,04 bilhões no segundo trimestre de 2022
> Bandidos escapam pelo telhado após roubo a banco no litoral de SP
> Saque-aniversário do FGTS para nascidos em agosto está disponível
> Banco do Brasil libera mais de R$ 2 bilhões a empresas dirigidas por mulheres
> Trabalhadores esquecem R$ 562,9 milhões no PIS/Pasep; veja como sacar
> Santander Brasil tem lucro de R$ 4 bilhões no 2º trimestre
> Caixa anuncia contratação de 500 empregados para reforçar atendimento

DALILA DA SILVA VILAS BOAS - BANCO DO BRASIL S/A 15/08
MARCELO HENRIQUE ANDRADE - BANCO DO BRASIL S/A 15/08
Veja lista de aniversariantes do mês  
Selos

 

     

® 2012 - SINTRAF - Todos os direitos reservados. - Avenida Santo Antônio, 200 - Sala 04 | Poços de Caldas - MG| Cep 37701-036 | Tel.: (35) 3721-9804 Domynio