Sindicato

Notícias
Bradesco tem lucro de R$ 7 bilhões no primeiro trimestre, alta de 13,9%
 
No mesmo período do ano passado, banco reportou ganhos de R$ 6,153 bilhões. Resultado é o maior para um primeiro trimestre em valores nominais no setor de bancos e o nono em valores ajustados pela inflação.
O Banco Bradesco informou nesta quinta-feira (5) que registrou lucro líquido contábil de R$ 7,009 bilhões no primeiro trimestre, uma alta de 13,9% na comparação com o mesmo período do ano passado, quando reportou ganhos de R$ 6,153 bilhões.

No quarto trimestre do ano passado, o banco registrou lucro de líquido contábil de R$ 3,170 bilhões.

O lucro do Bradesco é o maior para um primeiro trimestre em valores nominais no setor de bancos e o nono em valores ajustados pela inflação, conforme levantamento de Einar Rivero com a plataforma da TC/Economatica. Dos grandes bancos, apenas o Santander divulgou o resultado referente ao primeiro trimestre deste ano. O Itaú divulgará em 9 de maio, e o Banco do Brasil, em 11 de maio.

Já o lucro líquido recorrente (que desconsidera efeitos extraordinários) foi de R$ 6,821 bilhões, o que representa uma alta de 3,1% na comparação com os primeiros três meses de 2021. O resultado veio um pouco acima da previsão média de analistas consultados pela Refinitiv, de R$ 6,76 bilhões.

Segundo o Bradesco, o desempenho do início deste ano foi impulsionado pelo “desempenho da margem financeira, das receitas de prestação de serviços e das despesas operacionais”.

A receita com prestação de serviços somou R$ 8,6 bilhões, crescimento de 6,7% em 12 meses, mas queda de 2,9% no trimestre;A margem com clientes chegou a R$ 15,8 bilhões, alta de 19,6% em 12 meses e de 7% no trimestre;A despesa operacional foi de R$ 11,7 bilhões, queda de 9,1% no trimestre, mas alta de 4,4% em 12 meses.

O retorno sobre o patrimônio líquido, um indicador da lucratividade dos bancos, foi de 18% no primeiro trimestre, 0,7 ponto percentual abaixo do apurado no mesmo período do ano passado, mas 0,5 ponto acima do verificado nos últimos três meses de 2021.

Crédito e inadimplência

A carteira de crédito expandida do Bradesco alcançou R$ 834,5 bilhões em março, com alta de 18,3% na comparação de 12 meses e um acréscimo de 2,7% no trimestre. Nas linhas para pessoas físicas, o avanço foi de 22,6% na comparação anual, e na carteira para pessoas jurídicas, o crescimento foi de 15,7%.

O índice de inadimplência acima de 90 dias subiu para 3,2% em março, ante 2,8% em dezembro.

A base de clientes totais do banco atingiu 74,8 milhões, sendo 37 milhões de clientes correntistas.

Fonte: G1
_
Últimas Notícias
> CAMPANHA SALARIAL 2022: Negociação com a Fenaban começa nesta quarta (22)
> Cresce o número de processos trabalhistas no país
> Caixa paga hoje Auxílio Brasil a beneficiários com NIS final 2
> Seguro-desemprego ganha duas parcelas extras; veja quem tem direito
> Contratação pelo regime CLT: veja quais os principais direitos trabalhistas ainda válidos no Brasil
> Banco é condenado a ressarcir idosa que teve valores erroneamente descontados
> Ações da Eletrobras começam a ser negociadas nesta segunda-feira (13)
> Atenção: Novo golpe mira cartão com aproximação
> Inflação derruba o real e faz nota de R$ 100 valer apenas R$ 13
> Pela 1ª vez na história, reconhecimento de firma é feito digitalmente no Brasil
> Bancos vão fechar no feriado de Corpus Christi
> Banco é condenado por coagir empregados a desistir de ações trabalhistas
> PAGAMENTO DA SÉTIMA E OITAVA HORA
> Última etapa do Open Banking passa a permitir compartilhamento de dados financeiros
> Normas coletivas expiradas só podem ser mantidas com nova negociação, decide STF

GUSTAVO DE LIMA CARLOS - BANCO DO BRASIL 03/07
PEDRO CRANDCHAMP FILHO - CAIXA ECONOMICA FEDERAL 03/07
Veja lista de aniversariantes do mês  
Selos

 

     

® 2012 - SINTRAF - Todos os direitos reservados. - Avenida Santo Antônio, 200 - Sala 04 | Poços de Caldas - MG| Cep 37701-036 | Tel.: (35) 3721-9804 Domynio