Sindicato

Notícias
Bancário do BB obtém adicional de periculosidade por trabalhar em prédio com combustível no subsolo
 
A Terceira Turma do Tribunal Superior do Trabalho condenou o Banco do Brasil S.A. a pagar o adicional de periculosidade a um empregado que trabalha em prédio com dois tanques de combustível no subsolo. O colegiado aplicou a jurisprudência de que é devido o adicional quando a capacidade de armazenamento individual do tanque ultrapassa 250 litros.

Tanques
Na reclamação trabalhista, o bancário pedia pagamento do adicional, equivalente a 30% do salário (artigo 193 da CLT), com o argumento de que, no edifício Sede III do Banco do Brasil, em Brasília, onde trabalha, há dois tanques de óleo diesel, com 1,7 mil litros de capacidade cada, desenterrados no subsolo.

O juízo de primeiro grau indeferiu o pedido, e o Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região (DF/TO) manteve a sentença. Segundo o TRT, o fato gerador do adicional de periculosidade é a quantidade de combustível acima do limite legal, que, de acordo com a Norma Regulamentadora (NR) 20 do extinto Ministério do Trabalho (atual Secretaria Especial de Previdência e Trabalho), seria de 3 mil litros para cada tanque.

Edifício vertical
O relator do recurso de revista do bancário, ministro Mauricio Godinho Delgado, explicou que o entendimento do TST é de que a NR-16 estabelece expressamente os limites de líquido inflamável armazenado, no local de trabalho, que dão direito ao pagamento de adicional de periculosidade, ainda que se trate de recinto fechado. “Assim, não acarreta direito à parcela a existência de líquido inflamável acondicionado em tambores ou bombonas de aço, alumínio, outros metais ou plástico, com capacidade entre 60 e 250 litros”.

Sobre a NR-20, o ministro acrescentou que, de acordo com a norma, os tanques para armazenamento de líquidos inflamáveis somente poderão ser instalados no interior de edifícios sob a forma de tanques enterrados, diferentemente do que ocorre no prédio em questão.

A decisão foi unânime. (GS/CF) Processo: RR-1560-74.2017.5.10.0002

Fonte: TST

Diretoria Executiva da CONTEC
_
Últimas Notícias
> Pix, TED, DOC, WhatsApp: onde reclamar se transferência der problema?
> INSS: Prova de vida deve ser feita até dezembro; fique atento ao prazo
> Caixa paga PLR ainda nesta sexta-feira (10)
> Bradesco pagará PLR no dia 20/09
> REAJUSTE SALARIAL
> Após crise com Febraban, procurador do TCU pede afastamento dos presidentes da Caixa e do BB
> Gerente do Itaú ligado a fatos que levaram à dispensa de advogada não será testemunha de banco
> Banco Mercantil vai pagar PLR e salário reajustado no dia 20 de setembro
> Empregadas da Caixa Federal recebem indenização por meio de ação do Sindicato
> Caixa e Banco do Brasil desistem de deixar a Febraban
> Em 2ª derrota no dia para o governo, Senado aprova mudança em plano de saúde de estatais
> MP da reforma trabalhista é derrubada no Senado
> Governo propõe salário mínimo de R$ 1.169 para 2022, sem aumento real
> Pacotão do emprego aprovado na Câmara fere Constituição, avalia procurador-geral do Trabalho
> Febraban desembarca do governo Bolsonaro em oposição à política econômica de Guedes

MARINEIA DE FATIMA CORREA - BANCO ITAÚ - POÇOS DE CALDAS MG 18/09
JUÇARA APARECIDA DE CASSIA VI - BANCO DO BRASIL 18/09
Veja lista de aniversariantes do mês  
Selos

 

     

® 2012 - SINTRAF - Todos os direitos reservados. - Avenida Santo Antônio, 200 - Sala 04 | Poços de Caldas - MG| Cep 37701-036 | Tel.: (35) 3721-9804 Domynio