Sindicato

Notícias
Gerente do BB transferido várias vezes receberá adicional de transferência
 
A sucessividade das transferências retira o seu caráter definitivo.

O Banco do Brasil S.A. foi condenado pela Terceira Turma do Tribunal Superior do Trabalho ao pagamento do adicional de transferência a um gerente geral que foi transferido quatro vezes nos últimos oito anos do contrato. Segundo a Turma, a sucessividade das transferências é evidência de sua natureza transitória.

Transferências
O empregado prestou serviços ao banco por 35 anos. Na reclamação trabalhista, ele afirmou que, nos oito anos que antecederam seu desligamento, havia sido sucessivamente transferido para as unidades de São José do Rio Preto, Pirangi, Cajobi e Nova Catanduva (SP) sem ter recebido o adicional previsto no artigo 469 da CLT.

O juízo da 2ª Vara do Trabalho de Catanduva e o Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região (Campinas-SP) julgaram improcedente o pedido, por entender que as transferências, por terem importado em mudança de domicílio, foram definitivas.

Mudança de domicílio
O relator do recurso de revista do gerente, ministro Mauricio Godinho Delgado, explicou que a transferência se caracteriza pela prestação de serviço em local diverso daquele para o qual o empregado tenha sido contratado e se houver, necessariamente, a mudança de domicílio, como no caso. “Não havendo mudança de domicílio, não se configura transferência, mas simples deslocamento do empregado”, observou.

Em relação ao adicional, o ministro assinalou que, de acordo com a jurisprudência do Tribunal (Orientação Jurisprudencial 113 da Subseção I Especializada em Dissídios Individuais), a parcela só é devida quando a remoção é transitória, e não definitiva. Ainda conforme o entendimento da SDI-1, a existência de sucessivas transferências, como no caso, é uma das características da transitoriedade. “São transitórias as remoções que acontecem sequencialmente durante o contrato, evidenciando, por sua reprodução sucessiva, o caráter não definitivo de cada uma”, concluiu. A decisão foi unânime. Processo: ARR-11017-53.2015.5.15.0070

Fonte: TST

Diretoria Executiva da CONTEC
_
Últimas Notícias
> Itaú, Bradesco, BB e Santander mostram força na crise com números do 2º tri
> Bolsonaro edita MP que facilita venda de ativos da Caixa
> Inflação de julho é a maior para o mês desde 2016
> Campanha salarial 2020 – FENABAN
> Banco do Brasil tem lucro de R$ 3,2 bilhões no 2º trimestre
> Reunião pelo Zoom AÇÃO COLETIVA. DIA 21 JULHO
> Banco do Brasil: RESULTADO DA CONSULTA DE PROPOSTA DE ACT EM DECORRÊNCIA DA PANDEMIA E ASSINATURA DO ACORDO
> Começa hoje pagamento do abono salarial do PIS/Pasep 2020/2021; veja quem pode sacar
> ELEIÇÕES DA PREVI: Votações se iniciam hoje (13/07)
> Reunião pelo Zoom AÇÃO COLETIVA 17 JULHO
> Governo quer deixar MP das regras trabalhistas perder validade
> O que está acontecendo com o app Caixa Tem e o que o banco diz?
> Centrais sindicais protestam virtualmente e em frente ao Ministério da Economia
> Com home office, BB vai devolver 19 de 35 edifícios de escritórios no país
> Banco do Brasil:CONSULTA DE PROPOSTA DE ACORDO COLETIVO DE TRABALHO EM DECORRÊNCIA DA PANDEMIA

JOAO LUIZ RODRIGUES - CAIXA ECONOMICA FEDERAL - POÇOS DE CALDAS MG 11/08
Veja lista de aniversariantes do mês  
Selos

 

     

® 2012 - SINTRAF - Todos os direitos reservados. - Avenida Santo Antônio, 200 - Sala 04 | Poços de Caldas - MG| Cep 37701-036 | Tel.: (35) 3721-9804 Domynio