Sindicato

Notícias
Lucro do Banco do Brasil sobe 4,7% no 1º trimestre, para R$ 2,678 bilhões
 
Maior banco brasileiro, o Banco do Brasil teve lucro líquido de R$ 2,678 bilhões no primeiro trimestre de 2014, valor 4,7% superior ao registrado em igual período do ano passado. Sobre o ganho registrado entre outubro e dezembro, houve redução de 11,5%. (Anderson Figo)

Em base recorrente, que exclui ganhos e perdas extraordinários, o lucro do BB foi de R$ 2,436 bilhões nos três primeiros meses do ano, 9,3% menor em relação ao registrado entre janeiro e março de 2013 e ligeiramente acima da cifra vista no quarto trimestre, de R$ 2,424 bilhões.

O banco apresentou expansão de 18% nos financiamentos na comparação anual, totalizando R$ 699,251 bilhões ao final de março –o correspondente a 21,1% do mercado de crédito nacional–, à frente de Bradesco (R$ 432,297 bilhões), Santander (R$ 275,245 bilhões) e Itaú Unibanco (R$ 508,246 bilhões).

Sobre o trimestre anterior, a carteira de financiamentos do Banco do Brasil teve alta de 0,9%.
O avanço foi possível por causa da manutenção da estratégia de aumentar o crédito de menor risco, como consignado, CDC (Crédito Direto ao Consumidor), financiamento de veículos e crédito imobiliário.

Esse perfil de crédito correspondeu por 75,3% da carteira orgânica do BB, formada por operações com clientes pessoa física, que finalizou o primeiro trimestre com saldo de R$ 137 bilhões, crescimento de 14,6% sobre o mesmo período de 2013 e de 2,0% em relação a dezembro.

CALOTES
A inadimplência acima de 90 dias do banco encerrou março em 1,97%, queda de 0,3 ponto percentual sobre a taxa apurada no primeiro trimestre de 2013 e ligeiramente menor que o 1,98% visto em dezembro.

A redução no nível de calotes também foi registrada pelos maiores bancos privados no país nos três primeiros meses do ano. O Itaú Unibanco, por exemplo, viu a taxa de inadimplência cair para 3,5%, menor nível desde a fusão com o Unibanco, em novembro de 2008.

Apesar da inadimplência menor, o BB elevou as despesas com provisões para calote em 27,8% no primeiro trimestre, na comparação anual, para R$ 4,187 bilhões. (Fonte: Folha.com)
_
Últimas Notícias
> Brasil fica em 25º lugar em ranking global de desempenho do PIB com 51 países
> Governo faz parceria com bancos para oferecer serviços por meio de canais digitais
> Caixa reabre PDV para adesão até o dia 11 de dezembro
> BRADESCO: Testagem do Covid será ampliada para dependentes
> Proposta prevê acordo entre empresa e trabalhador sobre FGTS no pós-pandemia
> ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA
> Em sua primeira semana, Pix registra R$ 9,3 bilhões em transações
> Empregados de empresas estatais têm salário médio de até R$ 31,3 mil
> INSS e Ministério Público assinam acordo para zerar fila de espera por benefícios
> RANCHO DOS BANCÁRIOS - AGENDE SUA RESERVA
> Presidente garante que, em sua gestão, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e Casa da Moeda não serão entregues à iniciativa privada
> Centrais sindicais lançam campanha pela manutenção do auxílio de R$ 600
> Disponível o jornal do mês de Setembro/2020
> CONTEC, Federações e Sindicatos assinam CCT FENABAN
> Bancário do Bradesco consegue majorar indenização por transportar valores entre bancos

José Carlos de Andrade - Caixa 24/01
Veja lista de aniversariantes do mês  
Selos

 

     

® 2012 - SINTRAF - Todos os direitos reservados. - Avenida Santo Antônio, 200 - Sala 04 | Poços de Caldas - MG| Cep 37701-036 | Tel.: (35) 3721-9804 Domynio