Sindicato

Notícias
BANCO SANTANDER DESCARTA VENDA DE SUA FILIAL BRASILEIRA
 
O presidente Marcial Portela disse que houve "conversas", mas nenhuma outra instituição fez uma oferta.

O presidente do Santander Brasil, Marcial Portela, que deixará a empresa em julho, negou no dia 25/05 que durante o período de três anos à frente da instituição tenha sido produzida alguma gestão para a venda da entidade no Brasil.
"Não existiu durante estes três anos nenhuma gestão de venda do banco Santander Brasil a outra instituição, nem brasileira e nem estrangeira, nem nada", declarou de forma categórica Portela em entrevista coletiva realizada na sede do grupo em São Paulo.
O executivo reconheceu que houve "conversas relativas a possíveis compras", mas esclareceu que nenhuma outra entidade realizou uma oferta de aquisição do banco.
Desta forma, Portela negou as rumores que periodicamente surgem no mercado sobre o Santander e lembrou a importância do negócio no Brasil, que fornece 26% do lucro líquido consolidado.
Sobre as possibilidades de gestão compartilhada com outra instituição financeira, disse que o Santander é "mais de comprar do que de se associar". Além disso, Portela descartou a possibilidade de unir forças com um grande banco brasileiro devido ao elevado grau de concentração atual do setor, onde três ou quatro entidades representam 75% do mercado.
"Não haveria possibilidade legal", acrescentou Portela, que manifestou que o Santander é a única entidade estrangeira que teve a oportunidade de ter uma "presença significativa" em bancos comerciais no país latino-americano.
O diretor fez referência aos resultados do primeiro trimestre deste ano, período no qual o Santander Brasil registrou um lucro líquido de R$ 1,5 bilhão, 14,4% a menos do que no mesmo período de 2012, de acordo com as normas contáveis sobre balanços usadas no país.
Portela afirmou que 2012 foi ano um "duro", no qual os esforços do banco foram dirigidos para reforçar o balanço e destacou que atravessa um "período de transição da indústria financeira" que culminará com uma normalização em 2014.
Portela anunciou sua saída do banco no dia 23 de março. Ele foi substituído como presidente-executivo pelo atual diretor-geral da divisão para América do grupo, Jesús Zabalza.
_
Últimas Notícias
> ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA
> Em sua primeira semana, Pix registra R$ 9,3 bilhões em transações
> Empregados de empresas estatais têm salário médio de até R$ 31,3 mil
> INSS e Ministério Público assinam acordo para zerar fila de espera por benefícios
> RANCHO DOS BANCÁRIOS - AGENDE SUA RESERVA
> Presidente garante que, em sua gestão, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e Casa da Moeda não serão entregues à iniciativa privada
> Centrais sindicais lançam campanha pela manutenção do auxílio de R$ 600
> Disponível o jornal do mês de Setembro/2020
> CONTEC, Federações e Sindicatos assinam CCT FENABAN
> Bancário do Bradesco consegue majorar indenização por transportar valores entre bancos
> Gerente do Itaú receberá horas extras por tempo de espera em aeroportos em viagens a serviço
> Itaú ultrapassa Bradesco como marca mais valiosa do Brasil, aponta pesquisa
> ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA CCT 2020/2022 COM VOTAÇÃO ONLINE
> CAMPANHA SALARIAL DOS BANCÁRIOS 2020 – 15ª Reunião da Fenaban
> Campanha salarial 2020 – BANCO DO BRASIL S.A.

Veja lista de aniversariantes do mês  
Selos

 

     

® 2012 - SINTRAF - Todos os direitos reservados. - Avenida Santo Antônio, 200 - Sala 04 | Poços de Caldas - MG| Cep 37701-036 | Tel.: (35) 3721-9804 Domynio